Usabilidade dos interfaces

 

A usabilidade (usability) de um interface está tradicionalmente associada a cinco parâmetros:

1) facilidade de usar;

2) eficiência do uso;

3) facilidade de  relembrar;

4) poucos erros;

5) agradabilidade de usar (Nielsen, J. 1990).

 

Os testes de usabilidade são testes feitos em laboratório com utilizadores reais:

 

«Usability-laboratory testing is effective, because real users perform real tasks under the eye of experienced observers.(...) Another form of usability testing is to have expert reviewers use the system.»

 

«Subjects should be chosen to represent the intended user communities, with attention to background in computing, experience with the task, motivation, education, and ability with the natural language used in the interface. Investigators also must control for physical concerns, such as eyesight, left versus right handedness, age, and gender - and for other experimental conditions such as time of day, day of week, physical surroundings, noise, room temperature, and level of distraction.» (Shneiderman 1992: 479-81)

 

Para avaliar um interface é preciso seguir os comportamentos do utilizador enquanto desempenha uma ou mais tarefas representativas, pedindo-lhe que o faça “pensando em voz alta”, o que tornará mais explícitas as suas dúvidas e as razões que explicam os erros cometidos.

 

Nielsen, Jacob (1990). Hypertext and Hypermedia. San Diego, CA: Academic Press

Schneiderman, Ben (1992). Designing the User Interface: Strategies for Effective Human-Computer Interaction, 2ª ed. Reading, MA: Addison Wesley.

 

 

Interacção humano-computador

 

Um sistema informático não é apenas software, o utilizador é também um elemento desse sistema, que só funciona se a comunicação de um com o outro for eficaz:

 

«It is just as necessary to ensure that the user and the software, both components of a larger system with its onw purpose and goals, will successfully communicate with one another.» (Mayhew 1992: 6) Esta comunicação só será eficiente se as fraquezas e forças de cada um destes subsistemas forem consideradas, e é sobre as características de ambos que se debruça a disciplina de Human-Computer Interaction (HCI).

 

Mayhew, Deborah J. (1992). Software User Interface Design. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall.

 

In http://multipessoa.planetaclix.pt/DISSERT7.pdf